quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Dubladores brasileiros e seus trabalhos nos games


Jogos dublados em português têm se tornado cada vez mais frequentes. Em relação ao tempo em que a mídia existe, pode-se dizer que demorou muito para que o Brasil fosse reconhecido pelas produtoras a ponto de ter seu idioma oficialmente localizado nos títulos de videogame.

Na época do PlayStation 2, já encontrávamos alguns títulos modificados pelos próprios jogadores, que substituíam as legendas padrões em inglês por legendas em português criadas por eles próprios. O empenho em tal tarefa era louvável, mas o resultado final raramente agradava, tendo em grande parte problemas na gramática além de falhas no alinhamento, tamanho e coloração, o que dificultava a leitura e o entendimento do que estava escrito ali. Com o avanço para a próxima geração de consoles, o processo de adaptação do idioma dos jogos para o público brasileiro engatinhava, e já haviam alguns títulos exclusivos de Xbox 360 e PlayStation 3 com dublagem em nosso idioma (no PlayStation 3 demorou mais, tendo os primeiros Ratchet & Clank Future, Killzone, Uncharted e MotorStorm em português de Portugal, e só nos capítulos finais dessas séries houve a localização completa para o nosso português).

Por volta de 2011 o cenário começou a mudar, e vários títulos não-exclusivos passaram a apresentar legendas em português do Brasil de maneira oficial. Assassin's Creed Revelations, Max Payne 3, Mortal Kombat 9, Call of Duty Modern Warfare 3, Batman Arkham City e vários outros podiam ser melhor compreendidos pelo público local que não possuía grandes habilidades com o inglês.

O processo foi avançando de maneira gradual, e hoje não temos do que reclamar. Praticamente todo título AAA tem sido lançado com dublagem em português brasileiro, alguns ainda chegam apenas com legendas (como os da saga Resident Evil), e exceção mesmo se tornaram os games que não possuem o nosso idioma nas opções de áudio ou escrita.

Mas e quem são as vozes por trás daqueles personagens que nos envolvem em horas e horas de jogatina e divertimento? Muitas vozes podem ser estranhas, mas algumas você provavelmente deve conhecer. No início, as dublagens no nosso idioma eram feitas por dubladores americanos que falavam português brasileiro (!). Uncharted 3 e Max Payne 3 são exemplos disso, onde os personagens que falam português cometem erros banais na pronúncia de palavras básicas da nossa língua. Não há nada de anormal nisso, tem pouco brasileiro que sabe pronunciar "World" ou "Country" corretamente. Mas enfim.

Conforme os jogos dublados em nosso idioma foram recebendo boa aceitação por parte do público, ao mesmo tempo em que pedidos contínuos por dublagens melhores eram constantemente requisitados, as produtoras entenderam que o Brasil tem mercado e consumidores exigentes para esse tipo de adaptação de localização. A partir de então, dubladores profissionais daqui da nossa terra passaram a integrar o conjunto de vozes de vários games, e a experiência de imersão proporcionada a nós jogadores só teve a ganhar com isso.

Dublagem sempre foi um assunto que me interessou bastante. Sempre fui muito curioso em saber quem é o dublador ou dubladora desse ou daquele personagem, como é feito o processo de dublagem, como funciona a burocracia contratual e de direitos por trás da adaptação de cada obra, etc. Pensando nisso, decidi trazer a vocês uma lista com 9 ótimos dubladores que já contribuíram e continuam contribuindo para o mundo dos games, para que vocês possam conhecer os rostos por trás das vozes de personagens que vocês conhecem, bem como fazerem associações e afiarem seus ouvidos para reconhecerem esse ou aquele dublador quando ouvirem sua voz em qualquer conteúdo em que ele participe, seja filme, série, desenho, anime ou é claro, games!

Márcio Simões

Nos cinemas, Márcio Simões é ninguém menos que Will Smith (na maioria dos filmes atuais do ator), Nick Fury dos Vingadores, o Gênio do Aladdin, Robbin Williams em alguns de seus filmes, e mais uma galera. Já nos games, Simões vem acumulando uma boa quantia de papéis também. Além de Augustus Cole (em Gears of War Judgement), Basilius (de Ryse: Son of Rome) e Nathan Dawkins (personagem de Willen Dafoe em Beyond: Two Souls), Márcio também dá vida ao Coringa em Batman Arkham Origins e Arkham Knight, com uma interpretação absurdamente bem feita, especialmente em Knight, onde sentimos na pele a loucura que é a mente do Batman com o Coringa o assombrando a todo momento.

Guilherme Briggs

O também veterano Guilherme Briggs já deu vida a alguns personagens nos games. Um deles foi o Superman em Injustice: Gods Among Us. Briggs vem dublando o personagem desde os desenhos animados da DC no início dos anos 2000 (como Superman & Batman e é claro Liga da Justiça), então a escolha para a voz do Homem de Aço em Injustice não podia ser outra. Já em Batman Arkham Origins, o dublador deu voz a Bane, o brutamontes inimigo do Batman. Provavelmente a escolha para a voz de Bane ser de Briggs veio do trabalho do dublador com o mesmo personagem no filme Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge. Em Injustice, ambos, Superman e Bane, se encontravam no mesmo jogo, mas como a fidelidade de Briggs é maior com o Superman, a dublagem de Bane ficou a cargo do dublador Paulo Bernardo, que dá voz ao capitão Hank Voight na série Chicago P.D.

Mariana Torres

Agora eu vou falar uma coisa pra vocês: Mariana Torres, na minha opinião, é tão Korra quanto Wendel Bezerra é Goku. A voz dela caiu MUITO bem com a nova Avatar, a interpretação foi perfeita e conseguiu transmitir com perfeição cada emoção que Korra sentia ao longo da série. Mariana é proveniente de uma "nova safra" de ótimos dubladores, daqueles que você só vê as vozes em obras dos anos 2000 pra frente, e em todos os seus trabalhos os quais já pude apreciar, ela fez um ótimo trabalho, tanto com entonação de voz quanto em transmissão de sentimento, que ao meu ver são os dois fatores mais importantes para uma boa dublagem. Só pra fazer algumas referências a vocês, foi ela quem dublou Raven do seriado As Visões da Raven, Gwen Stacy em O Espetacular Homem-Aranha 1 e 2, além de Ravena em Jovens Titãs e no jogo Injustice. Até a publicação deste post, seu trabalho mais recente em games é com Evie Frye, a protagonista de Assassin's Creed Syndicate (game o qual tem dois personagens jogáveis e eu joguei 95% do tempo com Evie só por causa da ótima dublagem que a Mariana fez).

Philippe Maia

E já que falamos de Assassin's Creed Syndicate, o responsável pela voz do outro protagonista do jogo, Jacob Frye (irmão gêmeo de Evie) é o dublador Philippe Maia. Philippe nos cinemas já dublou o ator Ryan Reynolds diversas vezes, bem como o personagem "Quatro" da franquia Divergente, além de fazer um ótimo trabalho nas séries Supernatural (onde dá voz a Sam Winchester) e Castle (onde faz um trabalho perfeito com o sarcasmo do detetive Javier Esposito). Nos games, é a primeira vez que ouço sua voz, se ele já tiver feito outro trabalho nessa mídia, me informem nos comentários. Philippe também acertou na interpretação de Jacob, que por acaso também é sarcástico, e junto com Mariana Torres, eles fizeram os irmãos Frye terem uma química gigantesca a qual eu não pude perceber nem na dublagem original em inglês do jogo.

Luiz Carlos Persy

Persy deu voz a ninguém menos que Joel do The Last of Us. O trabalho ficou tão bem feito que, ao lado de Injustice, é considerado pelos gamers brasileiros um dos jogos mais bem dublados no nosso idioma. A voz de Persy possui várias entonações distintas e ele consegue passá-las bem à interpretação, o que lhe permite diferenciar bastante o jeito de falar para momentos calmos, momentos felizes, momentos tristes e momentos de "explosão de rage". Isso deu bastante realismo ao Joel que fala nosso idioma, algo estritamente necessário em se tratando do enredo de The Last of Us. Na TV, Persy já dublou o Lobo do desenho da Liga da Justiça, e o pai do Timmy Turner em Padrinhos Mágicos. Sim, Joel e o Sr. Turner são dublados pela mesma pessoa. Esse universo da dublagem é magnífico!

Ettore Zuim

Quem vê esse cara elegante andar na rua não crê que ele seja dono da voz do Batman. Sua interpretação do herói deu tão certo nos filmes da trilogia do Nolan, que seu papel como Homem-Morcego foi preservado nos games da série Arkham (Origins e Knight, os únicos dublados da saga) e também em Injustice. Vale lembrar que em Injustice, o elenco de dublagem era o mesmo do desenho da Liga da Justiça, exceto o Batman, que foi dublado por Zuim ao invés de seu dublador no desenho, Márcio Seixas (este que é considerado o maior dublador do Batman de todos os tempos).

Manolo Rey

Dono da inconfundível voz do Peter Parker da trilogia do Sam Raimi, além de Will Smith em Um Maluco no Pedaço e do detetive Kevin Ryan em Castle, Manolo Rey também dublou Robin nos filmes Batman Eternamente e Batman & Robin, nos anos 90. Partindo do princípio de que aquele primeiro Robin é o que mais tarde vira o Asa Noturna, Rey foi escolhido para dublar o ex-ajudante do Morcego em Injustice. Já em Batman Arkham Knight, pela história se passar vários anos mais tarde, Asa possui uma voz mais grossa, e a voz de menino proporcionada por Manolo Rey foi a que deu vida a Tim Drake, o terceiro e atual Robin (creio que pelo fato de Rey "ser o Robin", o escolheram para dublar o herói em Arkham Knight). Desta maneira, a interpretação de voz do Asa Noturna no capítulo final da saga Arkham ficou a cargo do dublador Mario Tupinambá.

Ricardo Juarez

Johnny Bravo é Kratos! Assumidamente gamer, Ricardo já vem trabalhando com vários papéis na indústria dos jogos. Seus mais notáveis são o Deus da Guerra em God of War Ascension, o Pinguim em Batman Arkham Origins e Knight, Cruzado em Diablo III e Mario, o protagonista de Ryse: Son of Rome. Em entrevista, o dublador já contou que chegou a machucar sua garganta em função do tom necessário para um dos gritos de Kratos em um certo ponto de Ascension. Com uma versatilidade absurda, Ricardo consegue dar voz aos mais variados personagens sem que notemos que é ele quem está falando. Além disso, ele também faz alguns trabalhos como locutor. Adivinha quem faz o "Atenção emissoras da Rede Globo para o top de 5 segundos".

Sérgio Moreno

E para finalizar a lista temos Sérgio Moreno, que tem estado bastante atuante nas dublagens de vários títulos desde que o negócio começou a ganhar força. Na Ubisoft ele já virou queridinho, tendo dado voz a Aiden Pearce de Watch Dogs, Pagan Min de Far Cry 4 e Donatien Alphonse François em Assassin's Creed Unity. Outros trabalhos seus são Geralt, o protagonista de The Witcher 3, e Zephyr, o corredor desafiante em Need For Speed Rivals (este que só tem voz, mas não aparece fisicamente). Na TV, Sérgio já deu voz a Mickey Mouse, Patrick Estrela nas primeiras temporadas de Bob Esponja, o vilão Valmont em As Aventuras de Jackie Chan, além de diversos outros papéis.


Conhece algum outro dublador ou dubladora que deveria estar na lista? Tem curiosidade em saber quem dubla esse ou aquele personagem de um jogo que você gosta? Comente!

4 comentários:

  1. Interessante é que o Luiz se parece um pouco com o personagem de The Last Of Us. Antigamente mesmo com a Tec Toy fazendo um excelente trabalho por aqui, a gente tinha que se virar com bom e velho dicionário mesmo, mas com a complexidade de temas e principalmente com o aumento de diálogos cinematográficos dos jogos pós PS2, o papel da dublagem ficou ainda mais necessário.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O diálogo nos jogos realmente aumentou muito, hoje em dia muito da história se desenvolve durante o gameplay, e não mais apenas em cutscenes. A presença massiva da dublagem nos jogos não poderia ter vindo em melhor hora, mas admito que eu bem que gostaria de ver alguns títulos ainda do PS2 com as vozes desses feras pra incrementar a experiência.

      Sempre bom sua presença por aqui Ulisses, obrigado pelo comentário! Abração!

      Excluir
  2. Eu particularmente prefiro jogar os jogos com áudio original, seja em Inglês, Japonês, Romeno ou Português de Portugal. Mesmo que os dubladores façam um trabalho sensacional, eu gosto de conhecer o jogo em sua originalidade, depois vejo um pouco de outro idioma. As vezes dá a louca e eu jogo em Português, aconteceu com [a porcaria d]o Lastófus e com [a outra porcaria d]o Diablo 3, onde a versão no nosso idioma ficou espetacular. Temos profissionais muito qualificados pro trabalho, temos que valorizar muito isso, é importantíssimo pra quem tem dificuldade com inglês ou mesmo goste de jogar as coisas no nosso idioma seja por qual for a razão. Pena que as empresas são retardadas e de vez em quando decidem colocar um famoso pra dublar, eu nem preciso citar exemplos infelizes aqui, vc sabe do que estou falando.
    Muito bom o post, Willi! Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado! Dublador estuda para isso e deveria ser melhor valorizado, com créditos mais explícitos nas obras nas quais trabalham (muita gente reconhece certas vozes de longe, mas não sabe de quem são por quase nunca serem devidamente creditados) e presença garantida em TODAS as adaptações. Famosos deveriam continuar com seus programas de TV e canais do YouTube, dublar não é para eles.

      Eu particularmente vou direto no idioma português quando o jogo tem a opção, e na maioria dos casos, não consigo gostar da versão em inglês depois. Temos um time muito competente em nosso país.

      Excluir

O Point Games Brasil é um lugar para troca de ideias! Eu dou as minhas por meio dos posts, e você, por meio dos comentários. Sua opinião é muito importante, mas tenha maturidade e responsabilidade para expressá-la. Comentários maldosos, com mimimi ou xingando todo mundo não serão permitidos, portanto não seja um troll. Faça sua parte para manter a internet um lugar saudável a todos. Promova discussões e debates, critique, elogie, opine! Mas sempre com educação e respeito.