quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Guia Prático de "Know-How" em PC Gaming do Willi | Parte 4 | Reflexões Sobre o Jogador


Enfim, chegamos ao final deste guia, e no post de hoje, o foco não será na máquina ou nos jogos, mas sim em você, jogador. Depois de termos passado por assuntos relacionados a hardware e software, chegou a hora de encerar esta série de posts fazendo uma reflexão sobre o comportamento do ser humano.

Montar um computador para jogos e, mais que isso, saber usá-lo corretamente, não é uma tarefa simples. Como pudemos ver ao longo do guia, todas as etapas exigem bastante empenho e dedicação por parte do jogador: desde a escolha cuidadosa das peças até o entendimento sobre os processos que estão ocorrendo na tela à sua frente, tudo envolve uma série de informações, números e dados técnicos, e aqueles que melhor sabem interpretar e gerenciar tudo isso são os que de fato merecem o título de PC gamers. Afinal, se fosse para "ligar e jogar", jogaríamos no console. Não me entenda mal: ninguém é obrigado a ser expert, mas como estamos falando de uma plataforma aberta, customizável e com uma vasta gama de possibilidades, limitar-se ao "arroz com feijão" é algo meio contraditório.

Um assunto que geralmente ronda o público jogador de PC é a Master Race. O termo é usado para simbolizar a corrida dos PC gamers pela melhor configuração, pelo melhor desempenho, pela máquina mais robusta, etc. E muitas pessoas acreditam que todos os PC gamers são master racers, quando na verdade não é assim que funciona. Seja pra você, gamer de PC super conformado que joga os games de 2016 no low em 720p; seja pra você que não pode ver um anúncio de placa de vídeo nova que já vai correndo fazer pré-venda; seja pra você que não entende nada do que foi dito aqui ao longo do guia e quer dar opinião sobre alguma coisa; esse post é pra todos vocês.