terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Review: Ultimate Mortal Kombat 3

Disponível originalmente para Arcade (versão analisada), Sega Saturn, Super Nintendo e Mega Drive. Relançado em coletânea digital para PlayStation 3, Xbox 360 e PC. Também disponível em versões simplificadas para Game Boy Advance, Nintendo DS e dispositivos móveis. 


1996 foi um ano muito importante para os videogames, pois foi uma época de transição, tal como esse biênio 2013-2014 está sendo. Foi quando o Nintendo 64 foi lançado, e a gigante nipônica surpreendeu a todos lançando um aparelho que ainda utilizava fitas, mas que não ficava atrás de seus concorrentes já lançados um ano antes. Também foi quando tais concorrentes tentavam aos poucos construir seu público: A Sony com seu recém-lançado PlayStation cheio de novidades, e a Sega com seu duvidoso Saturn. 1996 também foi um ótimo ano para as plataformas já consolidadas no mercado, os sistemas de 16-bits mais populares de todos os tempos, Super Nintendo e Mega Drive. Acontecia naquela época o mesmo que estamos presenciando acontecer hoje no cenário gamer atual: os atuais consoles sendo substituídos por já serem considerados "não suficientes para os jogos que as empresas querem lançar", ao mesmo tempo que estas mesmas empresas lançavam títulos magníficos que extraiam o potencial do console da melhor maneira possível, como Donkey Kong Country 3, Kirby Super Star, Sonic 3D Blast, e muitos outros.

96 foi ano de estreia de Resident Evil, de Tomb Raider, de Metal Slug, de Quake, de Diablo, de Crash Bandicoot. 1996 foi o ano em que eu estreei no mundo também, mais precisamente no dia 28 de outubro! E um pouco antes disso, o Mortal Kombat 3 de 1995, que apesar de ser um jogo excelente, desagradou os fãs em alguns pequenos aspectos, e a Midway, à fim de se mostrar uma empresa muito comprometida com seu público (e querendo tirar uma graninha por cima, também) deu uma de Capcom e lançou uma atualização para seu jogo. Nada de patch ou DLC como hoje em dia, o negócio era um jogo novo mesmo, com muito mais conteúdo e melhorias que sua versão original. Mortal Kombat 3 ganhou um Ultimate no nome, e conseguiu, na opinião quase unânime dos fãs da série, se tornar tanto nas máquinas de Arcade quanto nos consoles caseiros, o melhor Mortal Kombat já feito.