sábado, 8 de outubro de 2011

Mickey & Donald Magical Adventure 3 (SNES)

     Os videogames de 16 bits possuem uma capacidade a qual eu ainda não vi em consoles de outra geração: fazer jogos baseados em filmes e em desenhos serem tão bons quanto games de séries famosas (como Mario). Veja bem: desde que os consoles com jogos em 3D chegaram, quantos jogos realmente bons baseados em filmes foram lançados? Muito poucos, ou talvez nenhum. Quantos desenhos animados eram pra ser "homenageados" com jogos e por fim essas homenagens ficaram mais como um "xingamento", de tão ruim que era o jogo? Muitos.
     Indo um pouco mais pra trás no tempo, temos os 8 bits, onde infelizmente, muitos filmes se tornavam jogos realmente toscos, que não tinham nada da real temática do filme. Não pela limitação dos consoles, pelo contrário, essa limitação gerou inúmeros jogos bem melhores do que os que temos hoje em dia. Mas sim pelas próprias equipes de produção, que não faziam trabalhos lá muito decentes e acabavam só sujando mais ainda a imagem do filme (vide os Batman's de NES feitos como os jogos dos filmes... são jogos perfeitamente dispensáveis).
     Agora, nos 16 bits, fomos presenteados com ótimos games baseados em filmes. Alguém aí jogou "The Mask", para SNES, jogo baseado no filme do Máskara? É um ótimo jogo, tal como o filme que também é muito bom. E o beat'n up dos Power Rangers pra Mega Drive, inspirado no primeiro filme dos protetores do universo? É um game super viciante, lembro de jogar muito ele na infância. Se teve uma época em que filmes rendiam jogos tão bons o suficiente para bater de frente com Mario, Sonic, Donkey Kong e compania, foi nos 16 bits.
     E dentre todas essas ótimas adaptações de filmes e desenhos para o mundo dos games, merecem destaque, em especial, os jogos da Disney. Até hoje não joguei um game do Mickey ou Donald para os 16 bits que não fosse divertido. Seja  um jogo com uma história própria, apenas emprestando os personagens Disney para si (como o Quackshot do Mega Drive) um game baseado em desenhos (como o Mickey Mania, que possuía uma fase para cada um dos maiores desenhos do Mickey) ou até mesmo num filme (como o excelente Lion King, disponível para ambas as plataformas, SNES e Mega), os jogos da Disney que a Capcom fazia para os 16 bits sem dúvida eram títulos excelentes, alguns chegando até ao nível de "obrigatório" para um console, assim como os bam bam bans Mario e Sonic.
     Entre todos esses ótimos games, está Mickey & Donald Magical Adventure 3, ou simplesmente Mickey 3, como é conhecido pelos fãs (e também como foi apelidado na época). Um dos melhores jogos do Super Nintendo, posso dizer sem dúvida alguma. O game com melhor multiplayer entre todos os Disney-Capcom dos 16 bits, um dos mais divertidos, mais empolgantes e mais legais. Para inaugurar a série de reviews do novo velho layout do Point, trago a vocês esta pérola, cuja review você lê na continuação.


O JOGO


     E aqui está Mickey, o camundongo de Walt Disney, se aventurando mais uma vez pelas telas das TVs, só que dessa vez, quem decide o que acontece com ele é o jogador! Magical Adventure 3 é o terceiro jogo de uma série de games do Mickey e sua turma para o Super Nintendo. Primeiro tivemos Magical Quest Starring Mickey Mouse, onde o camundongo se aventurava sozinho por um mundo cheio de obstáculos e inimigos. Em seguida, o SNES foi presenteado com The Great Circus Mystery Starring Mickey & Minnie, onde agora Mickey e sua namorada Minnie teriam de se unir para desvendar os segredos de um misterioso circo. Por fim, chegamos a Magical Adventure 3, onde Mickey e seu melhor amigo Donald vão se aliar para salvar um mundo encantado dentro de um livro, das garras do feiticeiro Bafo. Estranho é ressaltar, que mesmo sendo o melhor game dessa série segundo a maioria dos jogadores, ele só foi lançado no Japão, enquanto os outros dois foram lançados em todo o globo. Mas isso não impediu de esse excelente título chegar às nossas mãos graças à pirataria que o governo tanto despreza, e também por um remake para Game Boy Advance, lançado anos mais tarde. Atualmente é possível encontrar a ROM do jogo para SNES em inglês na internet, mas é uma tradução não oficial feita por fãs, o jogo mesmo só saiu no Japão.
     Em Mickey 3, os dois personagens mais famosos da Disney irão se aventurar pelo mundo de um livro, livro o qual eles foram acidentalmente sugados, enquanto os sobrinhos de Donald mostravam a ele e a Mickey o livro que haviam encontrado. Agora, terão de salvar suas vidas enquanto se aventuram por aquele mundo, e enfrentar diversos inimigos que por algum motivo querem pará-los. A jornada vai começar, escolha seu personagem e parta para a aventura!
     O game apresenta uma mecânica comum nos jogos Disney-Capcom dos 16 bits: correr, saltar, desviar dos obstáculos, pular na cabeça dos inimigos para derrotá-los, recolher moedas, etc. Mas ao mesmo tempo em que apresenta essa jogabilidade, Mickey 3 se torna muito mais viciante por possuir características próprias, o que o torna um game de plataforma singular. Os inimigos não morrem se você apenas pular na cabeça deles. Ali, eles apenas estão num estado de "machucados", mas não derrotados. Quando você pula em um inimigo, ele fica indefeso, e você pode agarrá-lo e arremessar nos demais inimigos. Isso permite criar estratégias bem mais avançadas de jogo, que vão muito além do corre e pula do Super Mario.
     Também há a presença de blocos pelas fases, todos eles possuem alguma coisa dentro, pode ser moedas, coraçõezinhos, maçãs ou vidas extras. Para quebrá-los você deve apanhar um e lançar contra os outros, quebrando só aquele ou, no caso de certos blocos, iniciar uma série de estouros que quebra todos os blocos de uma fileira de uma única vez. Também há os blocos maiores, que soltam uma quantidade maior de moedas, maçãs, corações ou vidas. Estes também podem ser quebrados, mas alguns possuem uma corda que você pode puxar para abri-los e soltar o que tem dentro. Mas não é só sair detonando todos os blocos da fase: eles também podem ser usados como plataforma, para você alcançar outros lugares e descobrir mais segredos.
Os personagens em seus trajes de lenhador
     E o grande trunfo do jogo são: as formas dos personagens! Nossa jornada não ficará limitada a pular nos inimigos para vencê-los. Ao longo do game, Mickey e Donald irão ganhando roupas que podem e devem ser usadas para você progredir na aventura. Além da forma normal de cada personagem, o pato e o rato contarão com um traje de guerreiro, uma roupa de lenhador e um uniforme de mágico! Cada uma das três formas possui seus luxos e habilidades específicas, que podem ser usadas para diferentes momentos do jogo. Enquanto o personagem, na sua forma normal criada por Walt Disney, pode agarrar os inimigos e objetos e "tacar" contra as coisas, o traje de guerreiro permite desferir golpes destruidores para vencer os adversários e abrir passagens; a roupa de lenhador permite se agarrar em árvores e brincar pelos pontos altos dos cenários, além de também poder arremessar os inimigos, mas sem carregá-los como a forma normal faz; e o uniforme de mágico dá aos heróis a capacidade de brincar e tirar sarro com os inimigos, transformando-os nas mais diversas coisas (como fazer com que o espinho na ponta do rabo do escorpião vire uma flor!). Cada forma tem seus momentos específicos para ser usada, mas isso não impede você jogador de experimentar a forma de um ambiente em outro, para ver como é possível ir além do que o jogo oferece no meio principal e descobrir coisas novas. Para mudar de forma, basta apertar L ou R para escolher a roupa desejada e A para transformar.
Vencer chefes em dois é bem mais fácil
     Outro grande destaque do jogo é o modo multiplayer. Explorar aquele mundo maravilhoso sozinho já é uma experiência fantástica, e essa experiência é ainda mais gostosa se jogada com um amigo. O modo para dois jogadores é cooperativo, ou seja, ambos jogam ao mesmo tempo e na mesma tela, e um pode auxiliar o outro, como por exemplo, servindo de degrau para o parceiro subir e alcançar um determinado lugar. Jogar esse jogo em dois é tão divertido que por mais que morramos ou, às vezes, nos atrapalhemos, continuamos dando risada, pois na há jeito melhor de jogar multiplayer do que com um ajudando o outro!
Veja as barras de energia cheias, logo abaixo dos
coraçõeszinhos
     Mickey 3 possui vários elementos, que fazem o jogo ir um pouco além dos demais platformers do SNES. As moedas não servem só para dar pontos ao jogador, os pontos quem dá são as maçãs. As moedas são usadas para comprar coisas no Shop, uma lojinha que pode ser acessada por uma passagem secreta encontrada em algumas fases. Na lojinha é possível comprar mais corações, maçãs, vidas extras, enfim, tudo que também pode ser encontrado em blocos. Mas, se fosse só por isso a lojinha nem iria existir. Nela também é possível comprar upgrades para as roupas de guerreiro e mágico. É que essas roupas possuem barras de energia, se no traje de guerreiro você der um golpe com a barra de energia cheia, o inimigo morre na hora e ainda pode acontecer alguma coisa no cenário (como os fogos do castelo se apagarem, por exemplo). A barra de energia do guerreiro se recarrega sozinha, só que bem devagar, se você fizer o upgrade ela carrega bem mais rápido, possibilitando o uso mais frequente dos ataques mais fortes. Já no uniforme de mágico, cada tiro mágico consome um risquinho da energia, e é preciso coletar cartas para recarregar os risquinhos. Feito o upgrade, os risquinhos só são gastos com dois, três tiros de magia. Mas esses upgrades não são tão fáceis assim de conseguir, cada um custa 300 moedas, e você só poderá comprá-los provavelmente na metade do jogo ou mais adiante, e provavelmente só conseguirá um deles (e se conseguir os dois vai ser na penúltima ou última fase). Mas isso é algo que aumenta o fator replay do jogo, fazendo você jogador querer jogar mais vezes para experimentar todo o potencial de ambas as formas dos personagens.
Um dos chefes que você irá combater
     O game não é muito extenso, em torno de uma hora pode ser fechado. São ao todo 7 fases, divididas em vários cenários e ambientes diferentes. Cada uma tem um sub-chefe na metade em um chefe no final, e estes possuem uma dificuldade mediana (para os iniciantes, pois para quem joga a mais tempo eles são fáceis). Pelo fato do jogo não ser muito extenso, a Capcom preferiu não colocar sistema de salvamento, dessa forma, você começa a sua aventura desde o início, e caso pare de jogar e queira continuar de onde parou depois, pode usar o sistema de passwords.
O mapa do jogo
     O legal do jogo é que ele tem fases de todos os tipos que um jogador de 16 bits gosta de ver em seu jogo: a fase da cidade, da floresta, a fase aquática, a fase de neve, a fase de castelo, enfim, tem ambiente pra todos os gostos. Fora que a sequência de cenários dá ao jogador uma verdadeira sensação de progresso em sua jornada, tomemos como exemplo a primeira fase: começa no meio de uma cidade, vai para uma parte mais distante, com lagos e rios, desce no meio de ruínas inundadas, e sobe de novo até o ponto mais alto, para enfrentar o chefe. É um daqueles jogos em que a sequência de cenários está em perfeita harmonia, e você definitivamente se vê progredindo.
     Também é interessante explorar toda ou o máximo possível da fase, pois com isso você poderá quebrar mais blocos e ganhar mais dinheiro, e também poderá achar saídas secretas que te levam ao Shop ou a um Bônus Game de virar cartas, sendo que cada carta lhe dá uma recompensa diferente.
Repare nas diferentes tonalidades da água, na
cidade ao fundo, nas plantinhas do lado
esquerdo da tela. Isso tudo só deixa o game
mais vivo e belo, são detalhes que fazem a
diferença.
     Agora, a parte mais notável do jogo: os quesitos som e imagem. Se teve um empresa que fez jogos bonitos para o Super Nintendo, essa empresa foi a Capcom. Na minha opinião, os jogos dela para o SNES são de longe os mais belos do console. Por mais que Mario e Donkey Kong também se aventurem por mundos fantásticos, Mickey 3 é de longe o jogo mais belo do Super Nintendo, tenho que dizer. Os cenários são super bem feitos, cheios de detalhes, e com ótima sensação de profundidade. Todos foram muito bem produzidos, são coloridos e vivos, e agradáveis de olhar. Ao mesmo tempo, a trilha sonora do game é lindíssima e muito marcante, principalmente pra quem jogou o game desde criança. As músicas combinam com cada momento, têm uma harmonia perfeita com cada ambiente, combinam bem com as situações, e, claro, deixam o game ainda mais bonito. Eu não sou muito fã dos trabalhos atuais da Capcom, mas tenho que aplaudir de pé as maravilhosas obras feitas por ela nos 16 bits.
THE END
Prós: Parte técnica muito bem trabalhada, modo multiplayer espetacular, perfeita harmonia nos ambientes e na sequência deles, fator replay, jogo com características que o diferem da maioria.
Contras: Poderiam haver uma ou duas fases a mais, para deixar o game um pouco mais longo.
Considerações finais: Mickey 3 é de uma época onde jogos baseados em desenhos e filmes batiam de frente com games de franquias famosas. O jogo, mesmo só estando disponível oficialmente em japonês, não deixou de se tornar um dos títulos mais queridos pelos fãs e jogadores do SNES, e de entrar para o hall dos games obrigatórios para essa plataforma. Mais um que recebe o selo RECOMENDADO do Point Games Brasil!

9 Comentários:

  1. Excelente análise, Willi!

    Confesso que ainda considero este um dos meus jogos favoritos que tenho em cartucho.

    Além de ser um dos melhores jogos do Snes pra ser jogado em Multiplayer.

    ResponderExcluir
  2. Valew Ale!

    Sim, esse também é um dos meus favoritos!

    ResponderExcluir
  3. Muito foda esse jogo. Parabéns pela matéria, muito boa!

    ResponderExcluir
  4. OPA... Esse é o Willi que conheço!!!!!
    É isso aí grande brother, até a próxima!

    ResponderExcluir
  5. Valew ae Marlon!!

    Pode deixar comigo. Mesmo que aos poucos, eu vou fazer o blog voltar à ativa como era antes!

    ResponderExcluir
  6. É um pássaro,é um avião?

    Nããão,é a master fucking review from hell by Willi,the boss of the classics,and is eho,not ero xD

    Brinks cara,muito bão.

    Sério cara,esse é o Willi que eu conheço [2]

    Muito bom cara,adorei,continua assim,a próxima vai ser top gun pra NES!

    ResponderExcluir
  7. Muito obrigado, vibastos, galera, vocês nem sabem como esse apoio é bom pra mim. Me motiva ainda mais a continuar!

    E vou ver sobre esse seu jogo, vibastos. Quem sabe faço a review sim.

    ResponderExcluir
  8. Quem diria,9 comments em um dia,deve ser o record,bem,espero que de tudo certo e volte com tudo nas reviews de classics.

    Eu to com uma pancada de sugestões aqui.

    Exemplos:
    Battletoads
    Megaman x5
    Pilot Wings
    Pilot Wings 64

    ResponderExcluir

Agradecemos pelo comentário, são os comentários dos leitores que ajudam o blog a crescer! Só não use palavras de baixo calão, para assim ajudar a manter o blog limpo e com um ambiente melhor para todos!