quinta-feira, 23 de junho de 2011

Especial 20 anos de Sonic! Parte 1


     É isso aí meus amigos, hoje o ouriço azul da Sega está comemorando seus 20 aninhos! Desde 1991, a Sega nos presenteia com a sua melhor série criada até hoje, cheia de velocidade, ação e dinamismo. Sonic the Hedgehog pode já ter passado por fases ruins (não as fases difíceis dos games, mas fases complicadas na vida real) mas através de bons títulos, nos mostrou que uma série de qualidade tem sim a capacidade de se erguer perante as dificuldades.
     Ao estilo da matéria de 25 anos de Super Mario Bros, farei aqui no Point um especial contando um pouco sobre os melhores e mais marcantes games do ouriço já feitos. O especial será dividido em duas partes (senão o post iria ficar gigantesco e aqueles que não curtem textos grandes acabariam por nem ler). A primeira parte do especial falará sobre os games clássicos do ouriço, e a segunda falará sobre os jogos da fase moderna. Então, fiquem com a parte 1, e boa leitura!

The Beginning

     Até o ano de 1991, a Sega tinha como mascote o personagem Alex Kidd, um... sei lá o que o Alex Kidd é, mas enfim, ele jogava Jo-Ken-Po com os chefes de seus jogos para vencê-los. Alex Kidd era o mascote da Sega criado para competir com Mario, o encanador da Nintendo que realiza mil façanhas. Só que, para o azar da Sega, comparar Alex com Mario era uma humilhação ao encanador. Os games do... (o que o Alex é, afinal!?) não podiam se quer competir com os do Mario, verdade seja dita. A Sega, que não é tão cega assim, viu que era preciso criar um novo mascote, alguém que fosse capaz de enfrentar Mario de igual pra igual, tanto na qualidade de seus games, como na diversão proporcionada para o jogador. Devia ser algo igual ou superior ao encanador da "oposição", e, já com o Mega Drive (o então novo console da Sega) lançado, seria preciso, além de criar um mascote à altura, fazer um merchansinho pra deixar seu novo videogame mais popular. Então, nascia assim, em 1991, o primeiro jogo da série, intitulado...

Sonic The Hedgehog!


     Batizado com o nome do protagonista, Sonic The Hedgehog era um game cuja principal característica era a velocidade, velocidade a qual se tornaria a também a marca registrada do personagem. Mas essa velocidade não estava aí por acaso: Sonic corria overdrivemente para mostrar a incrível velocidade de processamento do Mega Drive, que era muito superior ao do seu concorrente, o Super Nintendo, a casa do Mario. Sonic devia enfrentar o Dr. Robotnik, um sabidão louco com QI elevado que aprisionou os animais da floresta em robôs. Sonic agora precisaria destruir esses robôs e libertar os animas em seu interior, para assim acabar com o exército de Robotnik e salvar o dia! Sonic The Hedgehog foi um game épico, trazendo ao mercado uma nova lenda no mundo dos games, banhada com ótimos cenários, músicas marcantes, e claro, muita velocidade. Sonic The Hedgehog foi o game que alavancou a popularidade do Mega Drive, e que também teve uma adaptação para o Master System, o outro console da Sega (equivalente ao Nintendinho da Nintendo) que já estava dando seus últimos suspiros. A versão de Master não ficava atrás da do Mega Drive, sendo considerada tão divertida quanto, e levando a velocidade do ouriço também para o 8-bits da Sega (dentro dos padrões e da capacidade do console, claro).

Dr. Robotnik não foi derrotado, ele fugiu, lembra?


     A segunda dose de velocidade chegou no ano seguinte, em 1992, com o título Sonic The Hedgehog 2. Pouca gente sabe, mas esse título chegou primeiro ao Master System, e só depois ao Mega Drive. E, por mais curioso que seja, o Sonic 2 do Mega Drive é a continuação do Sonic 2 do Master! Na aventura de 8-bits, o ouriço azul recebe uma carta de uma raposa chamada Tails, a qual havia sido sequestrada (ou sequestrado, afinal Tails é macho, não é um Chuck Norris, mas é macho) pelo Dr. Robotnik, e que estava sendo vítima de experiências feitas pelo vilão. O Sonic 2 do Master System deu uma segunda dose de aventuras para o Sonic, e no final, o ouriço consegue resgatar Tails, mas já era tarde demais, e as experiências feitas por Robotnik haviam dado uma segunda calda ao raposa (tá explicado porque ele tem duas caldas).

O segundo Sonic The Hedgehog 2


     Um mês depois do lançamento da aventura do Master System, chegou ao Mega Drive o Sonic The Hedgehog 2, este sendo ao mesmo tempo a continuação do Sonic 1 e também a continuação do Sonic 2 do Master. Robotnik arquiteta um novo plano e agora, Tails, o raposa a quem ele deu um segundo rabo, se alia a Sonic e mostra qual a sua verdadeira habilidade: matar os inimigos, pegar nossos anéis e atrapalhar o Sonic sua inteligência! Tails mostra-se um inventor tão esperto e inteligente quanto Robotnik, e constrói um avião (o Tornado) para auxiliar Sonic em mais este combate. Sonic derrota Robotnik mais uma vez, e como é de praxe, o vilão foge para assim deixar com que a Sega produza mais um jogo! Sonic 2 foi um dos jogos mais vendidos do Mega Drive e também o mais longo do Sonic para esta plataforma (Sonic 3 & Knuckles na verdade é mais longo, mas precisa de uma "gambiarra" pra ser ativado, enquanto Sonic 2 é um game inteiro em uma fita só, portanto pode ser considerado o mais longo do Sonic para aquela plataforma).

Jogue Tetris com o Dr. Robotnik e Pinball com o Sonic!


     Em 1993, Dr. Robotnik's Mean Bean Machine chegou trazendo uma proposta diferente de jogo: um game de puzzle no estilo Tetris, onde o objetivo é encaixar quatro ou mais beans (um tipo de geleca) da mesma cor para que eles se desintegrem e liberem mais espaço no campo! As "batalhas" desse game sempre se realizam entre o jogador (do lado esquerdo da tela) e um dos robôs de Robotnik (do lado direito) e quem conseguir se manter por mais tempo até que o outro se ferre, ganha! Eu particularmente nunca passei da quarta, quinta fase no máximo!
     Ainda no mesmo ano, Sonic virava uma bolinha de pinball no game Sonic The Hedgehog Spinball, onde devia derrotar o mais tenebroso plano de Robotnik: um castelo inteiramente feito com mesas gigantes de pinball, onde Sonic era a bolinha! O ouriço devia passar por quatro fases nada fáceis até chegar ao vilão e derrotá-lo.
     Ambos esses jogos foram alavancados pelo desenho animado de TV "Sonic The Hedgehog", que foi criado e exibido em 1993 nos states, e em 2002/2003 exibido aqui no Brasil pelo Silvio Santos' Channel (o SBT). Tal desenho foi apelidado de "Sonic SATAM" por sem exibido nos Estados Unidos sempre aos sábados de manhã (sábado de manhã = saturday AM = apelido satam). Em ambos os games, os personagens, os robôs, o próprio Sonic e o Robotnik, são inteiramente inspirados no desenho, assim não fazendo parte da saga principal da série.

"Compre já seu Sega CD, ou vai esperar que a Nintendo faça um!?"

     Foi com este anúncio de muito baixo nível que a Sega quis emplacar (sem sucesso) seu mais novo acessório do Mega Drive, o Sega CD (ou Mega CD), um aparelho capaz de se acoplar ao Mega Drive e reproduzir jogos em CD, assim com gráficos e sons de qualidade superior (uma novidade para a época). O Sega/Mega CD, no fim das contas, não fez sucesso nenhum, apesar de até ser um acessório interessante e que contava com versões superiores (na teoria) de vários games lançados para outras plataformas, e também com jogos exclusivos seus. Dentre esses jogos exclusivos, esteve o desconhecidíssimo Sonic CD, o sexto game do Sonic, um título muito bom e interessante, e que levava a qualidade de seu antecessor, mas que infelizmente, não conquistou popularidade pelo fato de estar disponível em um acessório também de baixa popularidade (que logo no lançamento conquistou má reputação pela falta de educação da Sega em fazer um anúncio daquele). Sonic CD foi também lançado em 1993, entre os lançamentos de Dr. Robotnik's e Sonic Pinball.

O terceiro


     Depois de um ano fraco para a franquia, em 1994 era lançado o terceiro episódio da série principal: Sonic The Hedgehog 3. O game mais uma vez contava com a união de Sonic e Tails para derrotarem Robotnik, cujo plano agora era roubar a Master Emerald, a maior e mais poderosa das Esmeraldas do Caos. Robotnik agora contava com o auxílio de Knuckles, o equídna guardião da Master Emerald. Robotnik mente a ele que Sonic e Tails estão vindo roubá-la, assim colocando Knuckles contra eles, e enquanto o cabeça de junta (Knucklehead, como foi apelidado por Sonic) se preocupava em atrapalhá-los, quem estava roubando a esmeralda de verdade era Robotnik. A ação agora se passava na belíssima Angel Island, uma ilha que flutua acima das nuvens, com a força da Master Emerald. Cenários belíssimos, novos sprites e uma aventura ainda mais divertida esperavam por Sonic e Tails em seu novo game.

Encaixe aqui e tenha o melhor jogo do Sonic na sua TV!


     Ainda em 1994, era lançado Sonic & Knuckles, a continuação de Sonic 3, que, segundo os fãs, parecia um game incompleto, inacabado, em que faltava alguma coisa. A explicação era que Sonic 3 e Sonic & Knuckles eram pra ter sido um único game, mas ficaria grande demais para colocar tudo num cartucho, então a solução vista pela Sega foi partí-lo em dois e lançá-los como games separados. Foi aí que entrou uma das maiores inovações já vistas no Mega Drive: a tecnologia Lock-On! Todo cartucho original do Sonic & Knuckles vinha com um encaixe na parte de cima, aonde era possível encaixar a fita do Sonic 3 e, aí sim, ter o jogo totalmente completo, com todos os personagens, todas as fases, todas as esmeraldas, tudo em uma única aventura só: Sonic 3 & Knuckles, aquele que teria sido o Sonic 3 original se não fossem as limitações impostas pelos cartuchos. Na época, só aqueles que tiveram o privilégio de ter os dois jogos originais puderam aproveitar essa maravilha. Mas com a popularização da internet, dos emuladores e das ROMs, foi possível que muito mais pessoas conhecessem o Sonic 3 & Knuckles, e consagrá-lo como um dos melhores (e para muitos o melhor) jogo do Sonic de todos os tempos!
     Nos anos seguintes ainda foram lançados outros jogos do Sonic para Mega Drive, mas não vamos falar deles para evitar que o post fique grande demais.

Sega Saturn: Coletânea, corrida insana e remake

     Chegava ao mercado o mais novo videogame da Sega: o Sega Saturn, ou Saturno, como é conhecido no Brasil. O console, que utilizava CDs como mídia, infelizmente não se tornou muito popular no Brasil e também no mundo pelo fato do PlayStation ganhar o mercado. Nesse pouco conhecido videogame, três jogos do Sonic foram lançados. O primeiro foi Sonic 3D Blast, um game em 3D do Sonic que também havia sido lançado para Mega Drive (no ano seguinte a Sonic & Knuckles, em 95). O remake, que saiu pro Saturn em 96, contava com pequenas diferenças, como Special Stage diferente, melhoras nos gráficos e nas músicas, enfim, coisas que são de praxe em remakes.
     Em 1997, tivemos Sonic Jam, uma compilação com todos os jogos do Sonic para Mega Drive pertencentes à saga principal (Sonic 1, 2, 3, & Knuckles, 3 & Knuckles, 2 & Knuckles e Special Stages). E ainda em 97, tivemos dessa vez um game novo do Sonic para Saturn, o Sonic R, um game de corrida do Sonic (difícil pra caramba). Não era corrida estilo Mario Kart, era uma corrida à pé, tipo maratona. O game também não se popularizou muito.

To Be Continued
     A primeira parte acaba por aqui pessoal, mas amanhã sai a parte 2, que será inteiramente voltada à saga moderna do ouriço! Não deixem de ver!


Um comentário:

  1. Sonic tá mais novo que o Mário. Manolo, nem sei o que dizer.

    ResponderExcluir

O Point Games Brasil é um lugar para troca de ideias! Eu dou as minhas por meio dos posts, e você, por meio dos comentários. Sua opinião é muito importante, mas tenha maturidade e responsabilidade para expressá-la. Comentários maldosos, com mimimi ou xingando todo mundo não serão permitidos, portanto não seja um troll. Faça sua parte para manter a internet um lugar saudável a todos. Promova discussões e debates, critique, elogie, opine! Mas sempre com educação e respeito.