segunda-feira, 31 de maio de 2010

Banjo-Kazooie (N64)


     Após quase 2 meses sem reviews de jogos de Nintendo 64, volto a postar sobre este maravilhoso console. E a review de hoje é do Banjo-Kazooie, jogo feito pela RARE para o sixty-four.

O JOGO
     Banjo-Kazooie é um jogo no estilo exploração, onde o principal objetivo é coletar itens e objetos espalhados pelas fases.
     Você assumirá o comando do urso Banjo, que teve a irmã sequestrada pela bruxa Gruntilda (que nome) que quer fazer um experimento com ela para roubar sua beleza. Com a ajuda de sua amiga, a ave Kazooie, Banjo deve resgatar sua irmã do castelo de Gruntilda.
     No game, você explorará o interior do castelo de Gruntilda em busca das fases, ou mundos. Cada mundo possui uma entrada para si dentro do castelo, entrada a qual só é aberta usando um Jigsaw, uma peça de quebra-cabeça. Próximo da entrada de cada mundo, há um quadro que o representa, com um botão no chão em forma de peça de quebra-cabeça. Você deve posicionar-se sobre o botão e usar um Jigsaw para completar o quadro, que está com uma parte faltando. Fazendo isso, a entrada para o mundo será aberta, e você poderá acessá-lo e partir em busca dos objetos e itens. Mas o que são os objetos e itens? Há vários deles: tem as peças de quebra-cabeça (Jigsaws), as notas musicais, os Jinjos, e outros. Mais adiante veremos o que cada um é e para quê serve.
     Pode-se dizer que Banjo-Kazooie é uma mistura entre Mario 64 e Zelda Ocarina of Time, pois o jogo possui uma movimentação parecida com a de Mario misturada com características de Zelda, tais como os diálogos, alguns movimentos e o fato de se aprender novas habilidades durante o jogo.
     Falando em habilidades, esse é um ponto fortíssimo do game. As habilidades principais dos personagens são bastante diversificadas, sem contar os movimentos especiais que se aprende ao decorrer do jogo. As habilidades principais são o pulo (botão A), o soco (botão B), o pulo mais alto (Z+A), o ataque da Kazooie com o bico (Z+B), o ataque da Kazooie com o bico no ar (A para pular + B, no ar, para atacar), além da batida de asas que permite prolongar um pouco mais o salto (aperte A para pular e, no ar, segure A pressionado para bater as asas). Já os movimentos especiais você aprende conforme avança no jogo. Alguns podem ser feitos a qualquer momento depois de aprendidos, tais como o Break Buster, onde o Banjo pula e a Kazooie usa seu bico para atingir o chão com toda a força. Já outros, como o Shock Jump, onde ambos pulam ainda mais alto, precisam da ajuda de discos, ou disks, que são pequenas plataformas no chão que, quando você está sobre elas e aperta tal botão, usa a habilidade. Tem ainda os que precisam de itens, como o movimento de atirar ovos (Z+C CIMA ou Z+C BAIXO), onde você precisa ter ovos para atirá-los. Enfim, há muitos movimentos, só jogando e praticando para aprender todos e saber usá-los com destreza.
     Outra característica positiva do jogo além da variedade de movimentos, é a montagem dos cenários, a forma deles em si. Todos são labirínticos mas ao mesmo tempo simples, com vários níveis de altura e caminhos diferentes. Por se tratar um jogo de exploração, o quesito cenários deve ser perfeito, e em Banjo-Kazooie ele é. Todos os cenários são super bem montados, sem contar o detalhe que, conforme a parte do cenário, a música muda, é remixada. São vários remixes da mesma música, um para cada parte do cenário. No mundo Treasure Trove Cove, por exemplo, no início do mundo a música é mais no estilo praia. Seguindo em diante, onde há um navio, a música muda para um estilo pirata. Mergulhando na água a música fica mais lenta. Já no topo da fase, não há música, e se você saltar de lá, conforme for caindo a música vai surgindo lentamente. Quanto aos mundos, todos são bastante diferentes um do outro. Ao entrar em um novo mundo, você jamais sentirá a sensação de já ter jogado aquilo num mundo anterior. Há uma certa semelhança entre a floresta em volta da casa do Banjo e o mundo 1, mas nada muito gritante. Há mundos de todos os estilos: praias, natureza, terror, etc., além do próprio castelo da Gruntilda, que também pode ser considerado um mundo.
     Mas todo jogo tem seus pontos fracos. Apesar da ótima movimentação, jogabilidade, gráficos, músicas e cenários, o jogo possui um defeito muito grande: a câmera, o temível bug dos jogos do Nintendo 64. Conforme você anda pelo cenário, a câmera nem sempre filma corretamente, e às vezes, filma um poste que está na frente do personagem em vez do personagem em si. Há como ajustá-la, basta apertar R, mas um auto-ajuste seria bem mais preferível. Porém, há uma técnica bem fácil para a câmera sempre te seguir corretamente: basta jogar sempre com o R pressionado. Claro, é chato e, principalmente, difícil, mas você não precisa fazer isso sempre, apenas quando o cenário estiver cheio de obstáculos. Quando você está em um lugar "limpo", não há porquê ajustar a câmera. Mas fica a dica.


ITENS E ELEMENTOS DO JOGO
Jigsaws: São peças de quebra-cabeça coletadas nos mundos. Há 10 em cada mundo, e elas estão espalhadas, você só acha procurando ou realizando pequenas missões ou puzzles. Você as usa para abrir os mundos. Cada mundo possui, perto de sua entrada, um quadro que o representa. Este quadro sempre tem algumas peças faltando. Basta se posicionar sobre o botão em forma de peça de quebra-cabeça em frente ao quadro e usar 1 ou mais Jigsaws dos que você tem para completar o quadro e abrir o mundo para que ele possa ser jogado. Mas atenção: a entrada para o mundo NÃO É O QUADRO, é algo próximo que tenha o nome do mundo em uma placa, tal como uma caverna ou um baú gigante.
Notas musicais: Existem 100 em cada mundo. Você as usa para abrir as Note Doors, portas dentro do castelo da Gruntilda que levam a novas salas com novos mundos. Cada Note Door exige um determiando número de notas musicais para ser aberta. Por isso é importante coletar todas em cada mundo para sempre ter à sua disposição o número exigido.
Jinjos: São criaturinhas coloridas espalhadas pelos mundos. Há 5 deles em cada mundo, um de cada cor. Nos mundos, você deve sempre conseguirá 9 Jigsaws procurando e realizando pequenas missões ou puzzles. Já o décimo Jigsaw você só consegue coletando os 5 Jinjos. Após coletar todos, eles te darão o Jigsaw.
Caveiras: Também chamadas de moedas Mumbo. Em alguns mundos, você encontra o mago Mumbo, um índio gigante com máscara de caveira. O mago te tranforma em algum animal, o qual pode acessar uma determinada área da fase a qual Banjo e Kazooie não conseguem em suas formas normais. Mas cada tranformação te custa um determinado número de caveiras. Por isso é importante procurar bem as caveiras espalhadas pelos mundos, pois há caveiras mesmo nos mundos onde não há o mago Mumbo.
Ovos: Grandes ovos azuis usados para atirar no inimigos, cada tiro gasta um ovo. Para atirar para frente aperte Z+C CIMA, e para atirar para trás (de modo que a Kazzoie "cague" o ovo) aperte Z+C BAIXO.
Penas: São gastas quando você voa (não a batida de asas, mas o voo em si, que você aprende no decorrer do jogo). Ao voar, você vai perdendo altura rapidamente, e para recuperá-la, você gasta penas.
Discos (ou disks): São pequenas plataformas no chão com o desenho de alguma coisa. Dependendo do desenho, você pode usar alguma habilidade. Se for uma garra, por exemplo, você pode usar o Shock Jump, onde Banjo e Kazooie pulam ainda mais alto. O voo, citado acima, além de gastar penas, só pode ser feito sobre o disco com desenho de penas.


THE END
Prós: Ótimos gráficos e grande variedade de movimentos e Special Moves.
Contras: Pelo enredo que o jogo tem, diálogos não seriam necessários. Porém, ao invés disso, o jogo tem muitos diálogos, e junto da legenda, também tem a voz dos personagens. O contra é que os personagens não falam junto com a legenda, ele resmungam junto com a legenda, e tem horas que isso irrita, e muito.
Considerações finais: Um dos melhores jogos de exploração que já passou por algum console. Além de viciante, este jogo possui um bom replay. RECOMENDADO!


A review deste jogo foi uma sugestão do visitante Infernosword!

6 comentários:

  1. Já joguei esse, ou o outro Banjo de 64, mas só uam vez, eu era pequeno, não fazia idéia do que tinha que fazer, mal sabia inglês, e por isso criei um pré-conceito pra com esse jogo, de ser "chato e enjoativo". Mas qualquer dia eu jogo de novo e vejo se gosto.

    ResponderExcluir
  2. Obrigado LLL por só postar comentários negativos ultimamente!

    ResponderExcluir
  3. De nada. Mas lembre-se que eu expliquei porque tenho esse preconceito, e quem saber quando eu jogar agora que sou "mais crescidinho" é mais provável que eu goste.

    Ah, melhoras pro seu PC gripado. XD

    ResponderExcluir
  4. Esse é um ótimo jogo, comprei ele e não me arrependo. Estou quase zerando ele já. Um dos melhores da Rare.

    ResponderExcluir
  5. Respostas
    1. AI GALERA ESTOU FAZENDO UMA TRADUÇÃO PARA PORTUGUÊS BR, DAQUI A ALGUNS DIAS ESTARÁ DISPONÍVEL UM VÍDEO NO YOUTUBE COM O LINK...

      Excluir

O Point Games Brasil é um lugar para troca de ideias! Eu dou as minhas por meio dos posts, e você, por meio dos comentários. Sua opinião é muito importante, mas tenha maturidade e responsabilidade para expressá-la. Comentários maldosos, com mimimi ou xingando todo mundo não serão permitidos, portanto não seja um troll. Faça sua parte para manter a internet um lugar saudável a todos. Promova discussões e debates, critique, elogie, opine! Mas sempre com educação e respeito.